//
você está lendo / you're reading...
cursos, educação, literatura, música, negócios, palestra, producão cultural

Imagina Conteúdo doa livros de produção cultural para o IEM/RS

No mês de fevereiro, o Instituto Estadual de Música do Rio Grande do Sul (IEM/RS) recebeu da equipe da Imagina Conteúdo Criativo a doação de 60 exemplares do livro “Aprenda a Organizar um Show“, do produtor cultural Alê Barreto.  

O diretor do IEM/RS Santiago Neto e Rodrigo dMart

Um dos projetos mais bacanas desenvolvidos pela Imagina, o livro foi lançado na internet em 2007 e ganhou sua versão impressa em maio de 2008. O trabalho de edição e revisão ficou a cargo de Rodrigo dMart, enquanto Yara Baungarten realizou as imagens que ilustram a obra nos dois formatos.

Guia de produção cultural lançado em e-book e em formato impresso, em 2008

Em novembro de 2008, a Imagina promoveu o lançamento da obra em diversas cidades, e na companhia do autor, os editores estiveram em Pelotas, Rio Grande, Cassino e Porto Alegre. Além de ter sido comercializado em livrarias, o livro também foi disponibilizado para compras na internet.

Na ocasião, Alê Barreto concedeu uma entrevista que foi editada na forma de um video release que auxiliou na promoção do projeto.

Agora, com o encerramento do projeto impresso do livro “Aprenda a Organizar um Show“, os envolvidos na proposta – Alê, Yara e Rodrigo – resolveram que os últimos exemplares da primeira tiragem do manual tinham que estar acessíveis ao maior número possível de leitores e interessados. Foi aí que surgiu a ideia de uma doação do material para ser distribuído pelo pessoal do Instituto Estadual de Música.

Santiago Neto recebe a doação da Imagina Conteúdo na sala do IEM

Segundo o diretor do IEM/RS, o músico Santiago Neto, o Instituto está se preparando para promover encontros e debates em 32 cidades do Rio Grande do Sul, estimulando ações da cadeia produtiva da música, como redes associativas, investimento na formação de educadores musicais e de público, rádios comunitárias, direitos autorais e acesso à cultura. E nessas oportunidades, o manual de produção cultural “Aprenda a Organizar um Show” vai poder circular junto com o pessoal da música – o público-alvo da publicação.

Cumprida mais esta etapa, a Imagina Conteúdo Criativo lembra aos interessados em como organizar um show que o conteúdo da publicação segue na íntegra no site Overmundo, onde mais de 13 mil pessoas já estiveram em contato com as dicas de Alê Barreto. É possível ainda acessar as informações que Alê publica no seu site, o Produtor Cultural Independente.

E para encerrar esta parceria que rendeu bons frutos, publicamos aqui uma breve entrevista com o produtor Alê Barreto, que fala como a experiência na produção de shows abriu para ele as perspectivas de publicar um livro, divulgar suas ideias na web e ministrar cursos sobre o assunto que ele mais gosta: a produção cultural.

[Imagina] Qual foi a importância da publicação do livro “Aprenda a Organizar um Show”? 
Alê Barreto – Publicar o livro “Aprenda a Organizar um Show” contribuiu muito para a organização do mercado cultural. Desde outubro de 2007 mais de 13.000 pessoas já acessaram os fascículos no Overmundo. Há uma geração de pessoas que começou seus primeiros passos na produção cultural através do livro. Há muitas pessoas que refletiram sobre suas práticas a partir da leitura do livro. Há muitos artistas que agora possuem uma noção de todo o processo de produção executiva de um show.

Produtor cultural Alê Barreto, em Porto Alegre, em 2007

O projeto foi também muito importante porque tive uma experiência muito construtiva com o Rodrigo dMart e Yara Baungarten. Através da editora independente deles, a Imagina Conteúdo Criativo, fizemos a edição, revisão, ilustrações e gestão da produção gráfica, num verdadeiro laboratório de inovação. A Imagina também foi responsável por aproximar do projeto o excelente designer Everson Nazari, conhecido como Indio San, que foi o responsável pela capa do livro. Nosso trabalho colaborativo mostrou-se dinâmico, focado, de baixo custo. Isso trouxe como resultado uma boa receptividade da publicação impressa e que a mesma tenha chegado a grupos culturais e ONGs nos mais diferentes lugares do Brasil. 

[Imagina] Em que medida a internet é relevante para o trabalho de produção cultural? Como você utiliza a rede?
Alê Barreto – A internet hoje ora é meio de expressão da produção cultural, ora é a própria expressão da produção cultural. Em ambas as situações, tornou-se a grande “artéria” para circulação de conteúdos culturais. Eu aposto muito no blog e nas plataformas de compartilhamento de imagem. São os meios que tem facilitado muito a difusão de conteúdos. Procuro utilizar a internet através do conceito de presença digital saudável. Presença digital basicamente é estar próximo do espaço na internet onde está o seu público. Mas estar próximo do público não pode ser uma obsessão. Preciso de tempo para estudar, ler, criar projetos, em autoconhecer. Hoje tenho quatro blogs e estou nas principais redes sociais como Facebook e Twitter, mas procuro estar atento para ter uma vida onde haja espaço para outras coisas, além de estar plugado.

Cartaz do lançamento do livro, em 2008

[Imagina] Atualmente, você circula o Brasil ministrando oficinas e dando palestras. Quais são as semelhanças e diferenças entre os cenários de produção cultural no Rio Grande do Sul, no Rio de Janeiro e outros lugares do país?

Alê Barreto – A grande semelhança é a diversidade. Seja no sul, no nordeste, seja no Espírito Santo, seja em Minas, há muitas manifestações artísticas. Do regional às cenas urbanas, não há, na minha opinião, lugar melhor ou pior. Todos os lugares que tenho ido estão cheios de pessoas envolvidas com a produção de arte, comunicação, cultura e entretenimento. As diferenças também acontecem por conta desta diversidade cultural. As cidades do Rio de Janeiro e São Paulo cada vez mais mostram-se grandes centros de trocas e de atividades de mercado. Salvador, Brasília, Porto Alegre, Recife, as capitais em geral, seguem nessa direção. Fico curioso é com o “outro Brasil” ou “outros Brasis”, municípios pequenos que se abastecessem do que vem destas capitais. Estes agora também estão se percebendo e percebendo que as pessoas tem interesse neles. Uma pequena cidade hoje tem o potencial de se desenvolver mais rapidamente que um grande centro.

 [Imagina] Quais são os futuros projetos de Alê Barreto?

Alê Barreto – Estou começando a organizar as primeiras turmas do curso “Aprenda a Organizar um Show” no Rio de Janeiro e São Paulo. Devem começar a acontecer a partir de abril. Estou escrevendo o livro “Começar a Fazer”, um apanhado da primeira fase da minha carreira e informações úteis para quem está começando. Não tenho data ainda para lançamento. Estou desenvolvendo projetos de gestão de carreira artística para o músico Fábio Neves, integrante da Orquestra de Violões da UFRJ e líder do duo instrumental Pinho Brasil. Além disso, estou focado no meu curso MBA em Gestão Cultural, que estou fazendo na Universidade Cândido Mendes e trabalhando a articulação de parcerias no mercado do Rio de Janeiro.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Twitter – dMart

Twitter – Yara

%d blogueiros gostam disto: